CPT-MG repudia ação arbitrária da PM de MG, da CEMIG e do Governo de MG: exigimos respeito ao direito de morar dignamente.

CPT-MG repudia ação arbitrária da PM de MG, da CEMIG e do Governo de MG: exigimos respeito ao direito de morar dignamente.

VEREADORA de Belo Horizonte, MG, Isabela Gonçalves (PSOL) foi DETIDA AO APOIAR MANIFESTAÇÃO PACÍFICA CONTRA DESPEJO! Na tarde de ontem, dia 16/10/2020, a vereadora Bella Gonçalves foi detida exercendo suas prerrogativas de vereadora, mediando uma situação de violação de direitos humanos e direito à manifestação. Durante uma manifestação contra o despejo de uma comunidade, uma mulher avançou o carro nos manifestantes na frente da PM. Uma senhora foi atingida e quase atropelada pelo veículo. A senhora, sua filha e eu? Detidas. Enquanto isso a comunidade que realizava a manifestação segue em ameaça de despejo pela CEMIG. Fonte: https://bhaz.com.br/2020/10/16/vereadora-bella-goncalves-detida-confusao-protesto-capital/?fbclid=IwAR0lquAiDP09jIuE58bxoQ9lQeFKUxmwZWu6Folb4D4D8D7_fw5ztqsFIbg

Dia 16 de outubro de 2020, mais de 450 famílias que sobrevivem há 30 anos debaixo de uma torre de transmissão da CEMIG, na Vila Flores, região na divisa dos municípios de Belo Horizonte e Vespasiano,  mesmo tendo o direito consolidado sobre a área habitada e, pior, em tempo de pandemia do novo coronavírus, essas famílias foram violentadas pela  CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais), do Governo de MG, presidido por Romeu Zema (de um falso Novo) e pelaa Polícia Militar do estado de Minas Gerais, ao tentar despejar das famílias da área.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT/MG) repudia publicamente a ação injusta, covarde, violenta e inconstitucional da que violentaram o direito sagrado à moradia dessas famílias. Cumpre informar que existem mais de 300 mil famílias morando debaixo de linhas de transmissão de energia da CEMIG no estado de Minas Gerais. Já ouvimos de trabalhadores da CEMIG, do SINDIELETRO-MG, técnicos entendidos no assunto, que a CEMIG já deveria ter colocado a rede para ser subterrânea em várias áreas como é em Brasília e em outras cidades do Brasil e do mundo. Entretanto, a CEMIG vem violentando milhares de famílias alegando que as famílias ocuparam área indevida e que é área de risco. Se fosse área de risco, após 30 anos é que se vai atentar para o risco? Além de proteger uma empresa que violenta os direitos humanos fundamentais das famílias, inclusive cobrando uma tarifa excessivamente cara, a PM desviou da sua missão e agiu de forma ilegal e arbitrária ao prender pessoas que protestavam de forma pacífica e justa e cometeu o absurdo de deter também a vereadora de Belo Horizonte (PSOL), Isabela Gonçalves, presidenta da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Exigimos o julgamento dos policiais militares que cometeram essa arbitrariedade, ilegalidade e injustiça. Repudiamos a investida da CEMIG violentando um direito sagrado das famílias: o direito de morar dignamente. E perguntamos ao Governo de MG: Cadê a política habitacional do Governo de Minas Gerais? Zero.

Assina esta Nota:

Comissão Pastoral da Terra (CPT/MG)

Belo Horizonte, MG, 17 de outubro de 2020.

Assista, abaixo, vídeo de Denúncia da vereadora Bella Gonçalves, detida ilegalmente e arbitrariamente pela PM de MG, enquanto Bella acompanhava luta por moradia – direito básico e constitucional -, luta contra despejo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *