Poema “Do velho ao jovem”, de Conceição Evaristo

Poema “Do velho ao jovem”, de Conceição Evaristo

Narração: Carmem Imaculada de Brito

Poema “Do velho ao jovem”, de Conceição Evaristo[1]

Na face do velho

as rugas são letras,

palavras escritas na carne,

abecedário do viver.

Na face do jovem

o frescor da pele

e o brilho dos olhos

são dúvidas.

Nas mãos entrelaçadas

de ambos,

o velho tempo

funde-se ao novo,

e as falas silenciadas

explodem.

O que os livros escondem,

as palavras ditas libertam.

E não há quem ponha

um ponto final na história

Infinitas são as personagens…

Vovó Kalinda, Tia Mambene,

Primo Sendó, Ya Tapuli,

Menina Meká, Menino Kambi,

Neide do Brás, Cíntia da Lapa,

Piter do Estácio, Cris de Acari,

Mabel do Pelô, Sil de Manaíra,

E também de Santana e de Belô

e mais e mais, outras e outros…

Nos olhos do jovem

também o brilho de muitas histórias.

e não há quem ponha

um ponto final no rap

É preciso eternizar as palavras

da liberdade ainda e agora…

= = = = = =

A escritora Conceição Evaristo, convidada da Flip 2017 — Foto: Divulgação/Flip

Se gostar, compartilhe.

*Inscreva-se no Canal Frei Gilvander Luta pela Terra e por Direitos, no link: https://www.youtube.com/user/fgilvander, acione o sininho, receba as notificações de envio de vídeos e assista a diversos vídeos de luta por direitos sociais. Se assistir e gostar, compartilhe.

Acompanhe também as publicações em www.gilvander.org.br e www.freigilvander.blogspot.com

Sugerimos. #FreiGilvander #NaLutaPorDireitos #PalavrasDeFéComFreiGilvander #PalavraÉticacomFreiGilvander


[1] Conceição Evaristo, no livro “Poemas da recordação e outros movimentos”. Belo Horizonte: Nandyala, 2008.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *