Poema “Pedro Casaldáliga”, de Antônio Souza Capurnan

Poema “Pedro Casaldáliga”, de Antônio Souza Capurnan

Narração: Carmem Imaculada de Brito

Quem é Pedro?

Pedro é um irmão

É o telhado da casa onde os pássaros se aninham

E ensaiam a canção para a manhã seguinte

Pedro é a árvore a areia o vento o galo e a onça

O peixe primeva

O urucum na pele do índio o tucum

O rio Araguaia em oração

Pedro é o Evangelho segundo a natureza

Companheiro das ventanias imprescindíveis

Pedro é lavrador o processo e o mistério

De extrair o vinho das pedras

De arrancar as cercas da terra

E forjar o milagre do pão

Pedro é um Evangelho descalço e sem-terra

A igreja que somos na igreja que temos

Pedro é pedra fundante

Coração e caminhada na utopia dos pobres

Palavra e ação emocionadas

Um bálsamo que exala do caule profundo

Ou um óleo de copaíba destinado à cura

Pedro é o canto absoluto do uirapuru na floresta amazônica

Planta medicinal de paixão e da ternura

Pedro é ainda o sol inclemente sertão

A chuva sonhada

O barro batido na parede da casa

Pedro é a semente

A espiritualidade do chão

Nesta noite escura da terra

Eis o nosso desafio segundo o Evangelho de Pedro: Arrancar a solidão do corpo

Tirar leite da pedras

Calçar os chinelos de luta

E avançar noite adentro

Não se trata de tragar a bílis da vida amargurada

Eis o horizonte segundo o Evangelho de Pedro: Fincar bem firme o pé na estrada

A terra nova

As mãos e o corpo na estrada

A pátria nova

Deixar o coração iluminar a estrada

A vida nova

E sempre que for preciso

A indignação esperançada

Depois de escrever este Evangelho Pedro entrou no quarto Quando dona Diolice percebeu que Pedro arrumava viagem

Foi até a dispensa da casa

Trouxe de lá cinco pães

Dois peixes

E uma rosa cor de brasa

Ajeitou tudo no alforje de Dom Pedro Casaldáliga

E depois ficou na janela

Foi quando um cachorro manco atravessou a rua e uivou

(Era o mesmo cachorro sem rabo que Paulo Gabriel consagrou num poema)

Pedro faz pouco vestiu seu chapéu sertanejo e partiu

Tomou estrada e vai caminhando calcinada a terra

Observado de longe por uma multidão de estrelas acampadas

Para onde caminha Pedro?

Pedro adentrou agora a planície cósmica

Agora se sabe: como tudo em Pedro é profundo

Pedro partiu em viagem fecunda

Levando no alforje cinco pães e dois peixes

Não voltará nunca mais

Ele precisava mesmo ajeitar umas coisas com Deus, nosso Pai.

= = = = =

*Inscreva-se no Canal Frei Gilvander Luta pela Terra e por Direitos, no link: https://www.youtube.com/user/fgilvander, acione o sininho, receba as notificações de envio de vídeos e assista a diversos vídeos de luta por direitos sociais. Se assistir e gostar, compartilhe.

Acompanhe a luta pela terra e por Direitos também via www.gilvander.org.br  – www.freigilvander.blogspot.com

No Instagram: Frei Gilvander Moreira (gilvanderluismoreira)

No Spotify: Frei Gilvander luta pela terra e por direitos

Sugerimos. #FreiGilvander #NaLutaPorDireitos #PalavrasDeFéComFreiGilvander #PalavraÉticacomFreiGilvander

One comment

  1. PEDRO É A PEDRA FUNDANTE DA NOVA IGREJA, TEMPLO FORJADO NA INDIGNAÇÃO JUSTA E ESPERANÇADA NO AMOR E NA JUSTIÇA.
    PEDRO É O PROFETA, O SANTO MAIS PRÓXIMO DE NÓS NOS ÚLTIMOS TEMPOS.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *