Mineração em Riacho dos Machados e mineradora SAM, no norte de MG: promessa mentirosa, triste ilusão

Mineração em Riacho dos Machados e mineradora SAM, no norte de MG: promessa mentirosa, triste ilusão

Foto: Divulgação CPT

Em Riacho dos Machados, no norte de Minas Gerais, a Mineradora Riacho dos Machados (MR), hoje controlada pela canadense Equinox Gold, construiu uma barragem de água no Rio Rodeador para abastecer a extração de ouro. A ideia de que a barragem iria abastecer o município e as comunidades rurais foi logo propagada e, na esperança de contornar os problemas com a escassez de água na região, muitos defenderam a obra da mineradora. Foi o início de uma triste ilusão.

Na verdade, o projeto da barragem não contemplava fornecer água para a população, mas diante disso, as comunidades e organizações da sociedade civil conquistaram (mediante condicionantes) a disponibilização de parte da água armazenada para o abastecimento de comunidades que se encontram em torno da mineradora e também para o meio urbano. No entanto, quem levaria a água para o povo é o Governo de Minas Gerais. E foi tudo bem diferente. Não tem água para o povo, o Rio Rodeador foi privatizado, está mais seco e toda a água vai para a mineradora. O município é vítima de uma grave crise hídrica, que atualmente conta com a ajuda de caminhão pipa, vindo de cidades vizinhas.

Além disso, para agravar ainda mais a situação, a água que abastece as comunidades através de poços artesianos, vem baixando o nível consideravelmente, segundo os próprios atingidos. No mês de setembro deste ano, o município chegou a ficar dias sem abastecimento de água, dificultando ainda mais a vida dos moradores em meio a uma pandemia. Afinal, como se prevenir do Covid-19 sem o abastecimento regular de água?

Desde o período de implantação da Mineradora Riacho dos Machados foram feitas várias denúncias e identificadas várias irregularidades através dos órgãos de fiscalização. O licenciamento ambiental sempre foi, ainda é, controverso, com quatro licenças ad referendum (decididas nos gabinetes e só depois aprovadas pelos conselhos), e duas Autorizações Provisórias de Operação: antes da Licença de Operação da Mina e da Barragem de água.

A empresa além de sugar a água do Rio Rodeador também usa água de poços artesianos, garantindo a exploração do ouro 24 horas por dia. A infraestrutura hídrica que atende a população rural e urbana de Riacho continua precária. O tal progresso prometido, ainda não apareceu em Riacho dos Machados.

= = = =

Insistentemente temos reafirmado e alertado que o empreendimento da mineradora SAM no norte de Minas Gerais agravará a qualidade de vida e o abastecimento de água na região que sofre com as várias crises hídricas. E por falar nisso, trouxemos um vídeo (gravado no dia 5 de outubro de 2020) que mostra a situação de 65 famílias que estão sem água devido à seca do Córrego do Bonito, na Comunidade Bonito, núcleo Tingui.

Diante deste estado de calamidade, reivindicamos que as devidas providências sejam tomadas e que as famílias da Comunidade Bonito tenham assistência neste momento.
Assista e divulgue, sugerimos, o vídeo, abaixo:


#MineraçãoAquiNão #Bloco8 #crisehidrica #valedojequitinhonha #RiachoDosMachados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.