VALE MARCHANDO PARA A SERRA DO GANDARELA?

VALE MARCHANDO PARA A SERRA DO GANDARELA?

Devastação ambiental que a Vale está fazendo na região de André do Mato Dentro, em Santa Bárbara, MG, pode ser base para explorar minério na serra do Gandarela, o que é injustiça que clama aos céus.

No Jornal Diário de Barão, da cidade de Barão de Cocais, com o título “Vale prepara exploração da serra do Gandarela”, diz frei Gilvander –no Jornal Diário de Santa Bárbara, da cidade de Santa Bárbara, com o título “Frei Gilvander diz que obra da Vale será base para minerar o Gandarela”, e no Jornal Diário de São Gonçalo, com o título “Religioso diz que obra pode ser base para explorar o Gandarela”, dia 19/6/2019, foi publicada reportagem com o seguinte conteúdo:

Frei Gilvander Luís Moreira, da coordenação da Comissão Pastoral da Terra em Minas Gerais (CPT/MG), fez graves denúncias contra a Vale pelas intervenções que está realizando na região de Socorro, em Barão de Cocais, e na localidade vizinha de André do Mato Dentro, pertencente a Santa Bárbara.

O religioso, que tem longa trajetória de atuação em defesa dos direitos humanos e causas ambientais, levantou suspeita de que a mineradora esteja, na verdade, “montando uma base para minerar a serra do Gandarela”.

“Há muitos indícios que demonstram que o verdadeiro interesse da Vale na área é já montar base para minerar a serra do Gandarela, sem piedade. Isso não pode acontecer, pois será a facada de misericórdia no sinclinal da serra da Moeda, um imenso aquífero”, denunciou.

Frei Gilvander Moreira afirmou que os interesses da Vale na serra do Gandarela são bastante claros. “A Vale pressionou para que o Governo Federal não reconhecesse o Parque Nacional da Serra do Gandarela tão amplo da forma que os ambientalistas pleiteavam e foi contra que se criasse uma reserva de desenvolvimento sustentável”, apontou.

Sobre as obras em áreas de Barão de Cocais e Santa Bárbara, o religioso disse que a Vale está cometendo “um crime hediondo”, embora tenha obtido autorização do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para executá-las em terrenos particulares. “A mineradora Vale, com autorização do TJMG, está cometendo mais um gravíssimo e hediondo crime socioambiental na região de André do Mato Dentro e no Socorro. A Vale está sacrificando mata atlântica, mata nativa e o rio São João, que abastece Barão de Cocais. A Vale está fazendo mais uma megacratera na região, em cima do rio São João, para, segundo ela, receber parte da lama tóxica da barragem de Gongo Soco”, afirmou.

“Estou muito comovido e indignado ao ver com os meus próprios olhos essa imensa devastação que a Vale está fazendo aqui na região de Barão de Cocais e Santa Bárbara. E a gente mais uma vez constatando que, de fato, a mineradora, em conluio com o Estado, está declarando guerra contra o povo”, alertou frei Gilvander Moreira, que visitou André do Mato Dentro sábado (15/6/2019) e participou de uma manifestação com moradores.

Em Nota publicada em www.manuelzao.urfmg.br , dia 13/6/2019, o Projeto Manuelzão afirma: “Em nome da emergência de conter os rejeitos do possível rompimento da barragem Sul Superior, a Vale tem usado o terrorismo das barragens para expulsar as comunidades e dominar o território onde pretende implantar dois megaprojetos minerário: Baú e Apolo.

A empresa está construindo um “cânion” em um morro, devastando remanescentes de Mata Atlântica protegidos por lei, além de um depósito para 3 milhões de metros cúbicos de rejeito no leito do rio São João, na parte mais baixa de André do Mato Dentro. Máquinas tem trabalhando 24 horas por dia, avançando sobre o território da comunidade rural, sem dar maiores informações aos moradores”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *