Tributo a Padre Pigi (Pier Luigi Bernareggi): um gigante na luta pela moradia em Belo Horizonte e RMBH. Por Frei Gilvander

Tributo a Padre Pigi (Pier Luigi Bernareggi): um gigante na luta pela moradia em Belo Horizonte e RMBH. Por Frei Gilvander Moreira[1]


Padre Pigi (Pier Luigi Bernareggi). Foto: Frei Gilvan

Comovido pela partida para a vida em plenitude do professor Michael Marie Le Ven, eis, que hoje, dia 22 de janeiro de 2021, recebo a notícia que também o nosso querido irmão padre Pigi (Pier Luigi Bernareggi) partiu para a vida plena junto com Michael Le Ven. Padre Pigi, um gigante na luta pela moradia digna, própria e adequada em Belo Horizonte (BH) e Região Metropolitana. Milhares de famílias foram libertadas da pesadíssima cruz do aluguel ou da humilhação que é sobreviver de favor, com o apoio e acompanhamento do nosso mestre e profeta padre Pigi. Inesquecíveis os pronunciamentos do Padre Pigi em Audiências Públicas na Câmara de Vereadores de BH ou na Assembleia Legislativa, defendendo com intrepidez e com ira santa a legitimidade da luta dos Sem Casa pelo direito de morar dignamente.

Em momentos de gravíssimo risco de despejo da Ocupação Dandara, na zona norte de Belo Horizonte, hoje com mais de 2.500 famílias assentadas em um bairro lindo autoconstruído, Padre Pigi atendeu nosso convite e em Assembleia com o povo, com mais de mil pessoas, disse de cabeça erguida e com dedo em riste: “Esta terra é de vocês. Esta propriedade estava abandonada há séculos, não cumpria a função social. Vocês, povo querido da Ocupação Dandara, têm direito a esta terra e vocês devem construir aqui as moradias dignas de vocês. Não abram mão de nem um centímetro desta terra. Construam aqui uma comunidade justa e solidária, um lugar bom de se viver”. Estas palavras proféticas animaram o povo a não arredar o pé da luta e a espantar o despejo que insistia em atropelá-los.

Assim que ficou sabendo que tinham acontecido as Ocupações Rosa Leão, Esperança e Vitória, na região da Izidora, também na zona norte de BH, na divisa com o município de Santa Luzia, padre Pigi me ligou e me chamou para conversar. Ele me disse: “Frei Gilvander, as terras ocupadas na Izidora são terras griladas, abandonadas e não cumprem a função social. O povo não pode deixar acontecer despejo lá”. Durante três meses, o Padre Pigi fez pesquisa criteriosa em cartórios de Santa Luzia e de Belo Horizonte e encontrou uma série de escrituras e documentos que, após PARECER de Advogados da Comissão Pastoral da Terra (CPT), comprovaram a existência de nove indícios de ilegalidades na cadeia dominial da escritura n. 1202, da Granja Werneck S.A. Nove ilegalidades que apontam indícios sérios de grilagem de terra. Com esses documentos em mãos, padre Pigi nos concedeu entrevista em videorreportagem fazendo estas denúncias (Cf. no final deste texto). Assim, sempre comprometido com a causa dos pobres, padre Pigi também foi decisivo para impedirmos despejos nas Ocupações da Izidora, onde hoje vivem cerca de 8.000 famílias libertadas da cruz da falta de moradia, da especulação imobiliária, falta de reformas agrária e urbana. São tantas recordações de lutas que Padre Pigi nos legou! Citamos apenas duas, como amostra. Padre Pigi, um gigante na luta pela moradia ao lado dos Sem Casa. Gratidão eterna, Padre Pigi! Você, agora em vida plena, continuará sempre vivo em nós, na luta por tudo o que é justo.

Padre Pigi (Pier Luigi Bernareggi) é filho de Carlo Bernareggi e Giovanna Bernareggi Spinelli, Padre Pigi, como era conhecido, nasceu em Milano, Itália, em 6 de junho de 1939. Com doutorado em Filosofia pela Universidade católica Del Sacro Cuore, em Milano, cursou Teologia na Universidade Católica de Minas Gerais. Passou a integrar a Arquidiocese de Belo Horizonte em janeiro de 1964, sendo ordenado presbítero em 17 de dezembro de 1967, pela imposição das mãos do então arcebispo metropolitano dom João Resende Costa.

Em suas atividades sacerdotais, atuou como professor da PUC Minas, foi Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Glória, bairro Eldorado, e Vigário Cooperador da Paróquia Santo Antônio, na Av. do Contorno, em Belo Horizonte. Pároco da Paróquia de Todos os Santos, no bairro Providência, em Belo Horizonte, e Vigário Episcopal da Região Pastoral Norte. Na sua trajetória, o exercício do ministério sacerdotal era indissociável da luta em defesa dos mais pobres, dos mais necessitados. Participou ativamente da criação do Programa Municipal de Regularização de Favela (Profavela), promulgado no dia 6 de janeiro de 1983, sendo o seu primeiro coordenador. Foi um dos criadores da Central Metropolitana dos Sem Casa (CEMCASA) e do projeto do Bairro Metropolitano, sendo decisivo para que cerca de 20 mil pessoas tivessem um lar. Atuou também na Pastoral de Vilas e Favelas da Arquidiocese de Belo Horizonte, dedicando-se incansavelmente para efetivar um Plano Metropolitano de Habitação Popular.

Obs.: Assista nos links, abaixo, videorreportagens com Padre Pigi.

1 – Palavra Ética com Padre Pier Luigi Bernareggi – Padre Pigi – de Belo Horizonte, MG – 15/07/2011

2 – Padre Pigi: Grilagem de terra na Granja Werneck, região da Izidora, em Belo Horizonte. 17/11/14

3 – Padre Pigi mostra grilagem de terras na região da Izidora, em Belo Horizonte, MG. 10/07/15

Frei Gilvander Luís Moreira é padre da Ordem dos carmelitas; doutor em Educação pela FAE/UFMG; licenciado e bacharel em Filosofia pela UFPR; bacharel em Teologia pelo ITESP/SP; mestre em Exegese Bíblica pelo Pontifício Instituto Bíblico, em Roma, Itália; agente da CPT, assessor do CEBI e Ocupações Urbanas; prof. de “Movimentos Sociais Populares e Direitos Humanos” no IDH e de Teologia bíblica no SAB (Serviço de Animação Bíblica), em Belo Horizonte, MG. E-mail: gilvanderlm@gmail.com – www.gilvander.org.br – www.freigilvander.blogspot.com.br      –       www.twitter.com/gilvanderluis        –    Facebook: Gilvander Moreira III

3 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *