Sebastião Clemente de Souza, o Tiãozinho da Bio-Saúde.

Sebastião Clemente de Souza, o Tiãozinho da Bio-Saúde. Por Maria da Conceição (Taninha), em 19/7/2018.

Terapeuticamente ouvia a sua brilhante história. Parte dela vou guardar a sete chaves, porque a mim foi contada em um confessionário de luz, e a minha missão é ouvir e ajudar no necessário a cada um/a, como também foi para você.

E, parte, peço a permissão para divulgar neste espaço de luz que também lhe foi muito sagrado, Casa Bio-Saúde, para dividir um pouco que honrosamente me mostrou o grande homem que você foi e continuará permeando a mente de quem com você conviveu.

A cada sessão Terapêutica Filosófica e Holística com você me encantava pelo seu caráter, pela sua vida, pela sua história, que em curtas e breves palavras fazia seus relatos e colocações de parte de sua vida e trajetórias de acordo com cada idade.

E o que me encantou de fato é que o sofrimento para você era muito natural e as acolhidas e carinho de cada pessoa, você se emocionava e guardava com alegria. Esta parte muito me comoveu. No entanto, hoje posso humildemente dizer que aprendi mais do que realmente o ajudei.

Até mesmo quando você carinhosamente me relatou sobre o seu dia a dia da Bio-Saúde, e como a mulherada da Bio-Saúde agiam com você. Você, chateado com algumas questões pessoais, mas nunca disse nada mal de ninguém, simplesmente a grande fala:

Sou muito bagunceiro e reconheço, mas não consigo ser diferente, nasci na roça, vivi no campo e hoje  penso que se desfazer de determinadas coisas  amanhã pode faltar, convivi com faltas e isto está em parte de mim, mas a outra parte está livre para acolher, entender e apaziguar cada uma delas que quando me enxotam de xingos, em silencio, eu rezo, eu não revido. Eu sou o número 9 do Eneagrama. Eu quero a paz e busco a paz para minha vida, para minha mente, para o meu coração e para todos. Sempre fui assim, eu observo e dou uma boiada para não entrar em encrencas e dou mil para sair logo. Elas porque não sabem que eu amo a cada uma de seu jeito, e amo estar naquela casa Bio-Saúde fazendo a minha obra. Eu gostaria de terminar os meus dias naquele espaço Bio-Saúde que já considero parte de mim, mas se for em outro lugar que meu Deus seja servido. Com esta doença confesso que minha  ficha ainda não caiu, e eu peço a Deus que não caia porque não quero desviar de quem eu sou. Ao invés  de ter fé posso passar a ter medo e eu não gostaria. E para mim a vida abundante do homem não vibra no que ele possui e sim no que ele é e faz. Trabalhar com as mãos é gratificante porque onde você está, você pode dividir com quem precisa. As ferramentas estão sempre ali com você. Não tenho ganância e sim sede de ajudar” (Tiãozinho da Bio-Saúde, da CPT, das CEBs e do STR).

Isto é um pouco do que posso dividir com vocês, a mostra de quem foi o Tiãozinho, sua intenção, sua dedicação e amor pela vida, pela casa Bio-Saúde, assim como por cada uma pessoa de sua convivência em sua estada aqui neste plano.

Que na sequência do exercício da Casa Bio-Saúde exercitem os exemplos, a harmonia, a paz, a serenidade e a sensatez de ação para a união com a equipe interna e com todos que por este espaço passar.

Texto escrito por Taninha – Maria da Conceição – , inspirado em Consultas Filosóficas e Holísticas feitas com Tiãozinho, tendo como objetivo resgatar seus exemplos de vida e homenageá-lo em seu sétimo dia de falecimento, juntamente  com os amigos e as amigas da Casa Bio-Saúde e demais amigos e amigas de seu convívio em vida.

Belo Horizonte, MG, 19/7/2018.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *