Carta do Padre Assis Tavares, suspenso do uso de ordens sacerdotais pelo cardeal, por ter abençoado …

Carta do Padre Assis Tavares, suspenso do uso de ordens sacerdotais pelo cardeal, por ter abençoado …

Paz e bem companheiros e companheiras da caminhada, de longe e de perto, que professam a fé, que não acreditam em Deus, mas que crêem  na humanidade e que uma nova civilização do amor é possível.

Eu nasci no arquipélago de Cabo Verde, banhado pelo mar atlântico. Da minha casa dormia com o bater das ondas e acordava com o mar agitado.

Desde cedo a minha família me ensinou o valor da liberdade, do respeito, da solidariedade e da justiça. Cresci com o meu pai falando sobre  relatos de:  a prisão injusta de Nelson Mandela, Xanana Gusmão e referencias  como  Luther King, Malcom X, Amilcar Cabral,  Thomas Sankara, Angela Davis, Assata Shakur. Enfim, cresci no berço  repleto de testemunhas e gestos de filantropia, de acolhida e fraternidade.

Nesse palco da existência, o tempo foi passando e eu me apaixonei pelos Missionários Espiritanos em 2001. Aprofundei-me e quis ser como um dos milhares espalhados pelos cinco continentes. Com esta família religiosa conheci Lisboa (de 2002 -2005), Amazônia, Tefé (de 2006-2007), Paris (2007-2012) e finalmente Brasil, mais precisamente o nosso quilombo urbano, Vila Prudente (2013-2022).

A nossa Regra de Vida Espiritana (RVS), ou seja, a nossa carta Magna, tal como a Constituição, começa assim: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para pregar o Evangelho aos pobres. Ele me enviou para proclamar a libertação dos aprisionados e a recuperação da vista aos cegos; para restituir a liberdade aos oprimidos” (Lucas 4, 18).

Apaixonei-me profundamente e desmedidamente por isso, pois ia ao encontro do que encontrei em casa de Silvério e Manuela (meus prezados pais),na Ilha de Santiago. 

Na Amazônia, Tefé, meu primeiro amor, ao longo das nossas viagens de 15 a 20 dias, devorei todos os livros da Teologia de Libertação, de CEBs, o pacto das Catacumbas, e, sobretudo, Eduardo Galeano, “As veias abertas da América Latina”. Na minha pochete ou portfólio de CDS havia: Mercedes Sousa, Zé Vincente, Pablo Milanês e Bob Marley.

Todo esse repertório fez com que eu me posicionasse desde cedo dentro da minha família religiosa, levei e levo muito a sério a citação de Lucas 4,18. Eu escolhi o lado dos vencidos(as), chorei nas enchentes, incêndios, como me diverti nos churrascos, natais, confraternizações, desfiles da nossa escola de Samba, capoeira com o mestre Coquinho, cooperativa de reciclagem, pastoral carcerária, movimento Negro, coletivos de imigrantes.

Levei enquadros da polícia, fui seguido no shopping pela segurança e às vezes tive que correr para não apanhar. Eu ia para cima com brio e vontade, pois a minha bussola sempre foi e será a construção de uma nova civilização de Amor. Tanto é que pisei as terras sagradas, aonde Dom Pedro Casaldáliga fundou o seu rincão missionário, “hasta à la muerte”.

Ao longo de 10 anos da Vila Prudente, em São Paulo, SP, conheci pessoas de tudo que é canto do mundo, de tudo que religião e filosofia. Na pandemia enterrei mais de 50 pessoas e em outras ocasiões celebrei matrimônio tanto quanto.  Porém, no meu circulo de amizade há, sobretudo pessoas ateias, mas que creem veementemente no humano e muito humano.

Essas pessoas me ensinaram cada vez mais, o quanto é paradoxal escolhermos o lado dos vencidos. Eu, como um jovem padre, de 39 anos, não consigo subir no altar, não agradecendo a mãe terra, a pachamama pela vida, como por outro lado, pedindo perdão pelo racismo, preconceito, homofobia, transfobia, xenofobia, machismo da nossa mãe Igreja.

Eu como jovem preto, ontologicamente sou, porém não existo, pois sou a carne mais barata do mercado. Ontologicamente o meu povo não existia pois era um objeto de troca, de venda e mão de obra.

No século XV a grande contenda teológica foi se perguntar se os povos originários tinham alma ou não? Certo dia, Adolfo Hitler, acordou e perguntou, será que os judeus, os ciganos são dignos de viver? Será que as mulheres podem votar? E em pleno século XXI ainda a questão é: é permitido ou não abençoar publicamente casais homoafetivos na Igreja Católica Apostólica Romana.

A geração vindoura vai dar risada na nossa cara e perguntar, quem inventou isso? Quem inventou Norte e Sul, países pobres e ricos?

Estamos discutindo uma coisa bem séria, pois podemos ordenar pessoas homo afetivas, mas não podemos abençoá-las. Porém a ordenação é uma bênção lindíssima.

Eu nos meus 20 e poucos anos da caminhada, conheci seminaristas, padres, bispos e cardeais homoafetivos, porém via e vejo pessoas que amam, que dedicam, que se doam totalmente em prol do Reino de Deus. Porém ontologicamente são “mas não existem”. Pois se amanhã quiserem construir famílias e ter uma relação assumida, mesmo que  doaram a vida inteira em prol do reino, por enquanto, não terão direito a uma bênção oficial da madre Igreja Católica, Apostólica Romana.

Eu prefiro um dia conversar com o meu sobrinho e minha sobrinha que nem conheci ainda, dizendo que: o seu tio foi suspenso da arquidiocese de São Paulo, por benzer pessoas. Porém não foi por causa de: ter roubado a Igreja, ter enfrentado o caso de pedofilia, ter engravidado alguém, ter que pagar pensão, ter separado famílias. Falarei isso para eles com muito orgulho. Eu estaria com muita vergonha se fosse o contrario. Mas ainda bem que não foi.

“Há pessoas que lutam um dia. Essas são boas. Há pessoas que lutam um ano. Essas são melhores. Mas há pessoas que lutam a vida inteira. Estas são imprescindíveis” (Bertolt Brecht, citado por Dom Hélder Câmara).

Hoje estarei voltando para as minhas raízes, me refazer,  conhecer as minhas sobrinhas, abraçar os meus vôs, celebrar o Luto do meu vô, respirar o ar das ilhas e sobretudo dormir e acordar, com consciência tranquila, ao som das ondas.

Pindamonhangaba, n. 224 foi por 10 anos a sede da ONU, dos países, dos imigrantes, dos sem Teto, dos lascados. A Campainha agora vai tocar, mas ontologicamente não sei se alguém vai abrir, mesmo chateado de madrugada, com sorriso, perguntando, “oh disgrama, essa hora”? Tentei ser pastor com os meus limites, as minhas falhas e virtudes.

Agradeço toda a solidariedade, de dentro e de fora, de perto e de longe, sobretudo da Área Pastoral São José Operário pelo carinho, acolhida e amor. Como adoro e sigo a linha dos Racionais MCs, “eu sou o negro drama… eu vivo negro drama” dentro da Instituição, porém apoiado por mais de 50 mil manos”.  Vou sem me despedir, porém vocês estão tatuados no coração desse citoyen du monde (cidadão do mundo) e irmão universal. Axé, ameuri!

Favela da Vila Prudente, São Paulo, SP, 07 de Dezembro de 2022

                                   Padre Assis Mendes Tavares, CSSp

17 comments

  1. Minha gratidão é solidariedade padre Assis.
    Deus continue te abençoando e protegendo por seu compromisso com o Reino.

  2. Até quando? Estou cansado, não da Luta. Mas da hipocrisia. Mesmo não estando assumido religiosamente Cristão, quando estive, aprendi que Deus não faz acepções de pessoas, são aceitas do jeito que elas são. Mas, na realidade não é bem assim. Nossa luta contra o racismo continua, independentemente onde ele se manifesta. Força Assis Tavares, a sua luta é nossa!

  3. Parabéns padre Assis pela sua atitude de amor e pela sua coragem.Disse só verdades com relação a hipocresia que domina o conservadorismo da Igreja,é não digo isso como alguém de alheia,pois sou catolica,nem por isso aceito a a arrogância que a domina

  4. E quem abençoa armas ??tá legal,na ordem do dia, do culto à ira, à morte e ao ódio.
    Pessoa que se amam, já são abençoadas,pois cultivam um sentimento sagrado ,que tem se tornado fora de moda e agora ,fora das bençãos da Santa Madre Igreja. Sinceramente…esse cardeal que cancelou esse padre ,deveria conhecer Jesus!❤️

    1. Os pastores que se misturam, que sentem o cheiro das ovelhas são impedidos de se alegrar e de celebrar com elas. Que pena, um poder eclesiástico a serviço da exclusão e do preconceito. Continuamos a pregação de Jesus: as prostitutas e pecadores os precederão no Reino dos céus

  5. Sinta-se abraçado, padre Assis.
    Receba toda minha solidariedade, pois “toda forma de amor vale à pena” e é abençoada por Deus. Mesmo contra a vontade de alguns cardeais que não conheceram o verdadeiro Amor.

  6. Padre (para sempre) Assis, que linda sua Vida, sua existência! Seu relato encanta, emociona, seduz para uma experiência de Fé verdadeira, como a fé de Jesus. A tua recompensa está dada pelos muitos corações acolhidos por Você e por outras que, mesmo sem o conhecer te amam. É de cortar o coração a dureza da hierarquia desta Igreja hipócrita que é capaz de venerar fascistas, torturadores, milicianos, mas não acolhe o pobre nem faz opção por ele. Que pena não tê-lo conhecido pessoalmente! 🙏🌺 Saiba que não o esquecerei jamais! 🌻 Siga em Paz com sua opção! Ah se eu pudesse ter um centímetro dela… Meu carinho, meu abraço! 🙏🙌🏼

  7. Tive a alegria de conhecer o Padre Assis em Ribeirão Cascalheira, na terra da vivência do Bispo Pedro, durante a Romaria dos Mártires da Caminhada.
    Padre Assis me encantou, sobretudo pela simplicidade e pela atenção. É um ser humano diferente e, claro, incomoda. Gratidão por tudo Assis. Sigamos!

  8. Querido padre Assis, você é uma pessoa importantíssima no meio do povo pobre e necessitado de qualquer lugar do mundo. Pena que a estrutura da Arquidiocese não consegue ver toda a riqueza de sua pessoa e de suas ações. Enquanto assim for, a Igreja oficial continuará distante do povo real. Só temos de te agradecer por tua entrega e tua vida! Onde você for, será uma luz do amor de Jesus, que também não fez diferença entre as pessoas. Quem dera você volte! Grande abraço!

  9. Minha solidariedade Padre Assi!
    Penso colono senhor e confesso que hoje tenho dificuldade de conviver com meus irmãos católicos. Sou agente Cáritas e graças a Deus, cá a gente se relaciona e acolhe todas as gentes. Vá em paz, abrace seus amados! Fico na torcida para que Deus o coloque em um lugar onde o senhor possa exercer seu papel de cristão, seguindo os ensinamentos de Jesus! Um grande abraço!

  10. Padre querido! A pele preta sempre incomoda os conservadores. Fabricaram um Jesus branco por razões q não se fala. Deus nunca vai cancelar o senhor. Agora está junto dos excluídos,assim como os verdadeiros heróis que subirão aos céus. Que sua fé não seja abalada. Conte com nosso amor, e, q sua fé fortalecida agora pela injustiça produza mais frutos. Deus é contigo

  11. Padre infelizmente o mundo em que vivemos é egoísta e hipócrita.
    Sofro de preconceitos homofóbicos por conta do meu lindo neto ter se tornado uma linda garota. Ele cresceu no berço católico, culto o mesmo ama incondicionalmente os mais pobres, desde cedo em missão pela própria igreja, do qual negou seu batismo porque sua mãe é evangélica, e a desculpa sempre foi que ela teria que autorizar, mandando esperar.
    O mundo não esperou e ele escolheu ser o que é hoje.
    Diante de tanta tentativa, preferi sair da paróquia pra não sofrer mais homofobia e preconceitos. O amor neste caso não vale nada a não ser pra tirar fotos e parecer bonito pro bispo. Fica minha indignação diante disso tudo mas peço não desista de lutar por nós, por nossos filhos netos. Se tiver conversão, está conversão só vai acontecer se eles estiverem na igreja e não na rua.
    Foi um prazer imenso conhece lo no encontro de casais com Cristo.
    Abraço forte
    E boa sorte
    Deus te abençoe
    Valéria e Dario

  12. Assis, é o Giba que fez filosofia com a Congregação do Espirito Santo. Lamento muito esse tipo de decisão/postura de um bispo, de quem se coloca na frente do “poder da suposto igreja”. Para mim essa instituição que se chama Igreja, não tem nada da igreja que eu acredito, apesar de ser católico. Para mim “Igreja é povo que se organiza, gente oprimida buscando libertação”. Manifesto aqui minha minha mais profunda indignação pela decisão que foi tomada por esse bispo. Conheço o seu trabalho e a essa maneira de atuar que todos nós, padres e leigos, somos chamados pelo nosso Deus Pai e Mãe, que ama a todos nós da mesma maneira. Conte comigo para o que você precisar. Onde você estiver continue com essa maneira legítima e comprometida com o humano. Não importa qual a religião que a pessoa atua, qual sua raça, sua orientação sexual, etc, somos todas e todos, filhos do mesmo Pai e temos o direito de ser tratados como tal. Qualquer membro de qualquer igreja é convidado a agir dessa forma. Siga em frente com toda força que você tem e conte sempre conosco.

  13. Pe a sua bença! Qndo eu fiquei sabendo do acontecido foi qndo, a minha coordenadora Isa comentou algo, e depois o Pe Ibrahim apareceu com o abaixo assinado, eu n pensei duas vezes eu saí distribuindo para os meu conhecidos e grs q eu participo, e muitos indignados pelo o ocorrido e pelo amor carinho q eles tem pelo Shr, como n amar gosta de um ser humano q nem o Shr q tem o coração enorme e faz o que for preciso para ver um sorriso e a alegria no rosto das pessoas, como dói em pleno século XXl saber e ver q as pessoas ainda são preconceituosas no lugar de se abraça pela causa do outro para ajudar, n faz total ao contrário acha melhor separar do q ver o bem e o amor q está fazer ao próximo, no Sábado de manhã antes das cinco eu estava fazendo as minhas orações, e como 100mpre o Shr em minhas orações eu comecei a chorar, pq doi ver uma pessoa inocente q n fez nada de mais e só quis levar o amor ao próximo através de uma benção ser afastado, hj eu já me emocionei com os depoimentos das pessoas uma mais linda q a outra. Pra qm n me conhece eu sou de São Paulo eu tive a oportunidade de conhecer a pereferia da VL Prudente e os projeto lindo q o Pe tem com a comunidade o churrasco q eu participei na casa dele q foi maravilhoso, as missas Afros q eu participei com ele e a última foi no primeiro Domingo de Novembro na igreja Nossa Senhora do Rosário na Penha em São Paulo, na festa de São Benedito q nós comemoramos em Junho e festa o Domingo inteiro e na hora da procissão ele n ficava juntos dos Padres n ele ficava no meio do povo e foi através dele q eu aprendi a fazer o gritinho, q eu vinha tentando deis do tempo da novela rs, e nas nossas missas Afros automaticamente eu faço o gritinho e qndo n tem as pessoas falam pq n teve o gritinho hj até os coroinhas cobram rs e muitos n conseguem até hj, bom já deu rs, si deixar vai chegar o ano que vem e vou continuar contando histórias do Pe q passamos juntos ou até mesmo as q eu sei q foram só coisas boas. Pe meu irmão amg etc, eu quero q o Shr saiba q o Shr n está sozinho nessa luta o povo Brasileiro e provavelmente fora também está com o Shr, logo logo e si Deus qser junto com Nossa Senhora o Shr estará de volta, sinta se abraçado por todos principalmente a sua família de São Paulo junto com a igreja Nossa Senhora do Rosário a Pastoral Pérola Negra etc, Pe essa luta é nossa e o Shr n está sozinho nessa. Meu amg fq com Deus e Nossa Shra aproveite as suas férias, e curte a família q é o bem mais precioso q nós temos bjs saudades.

  14. Parabéns padre Assis Deus e nossa senhora está contigo e nós também, tive o prazer de conhecer o senhor uma pessoa iluminada do espírito de Deus.
    Estou muito triste pelo que fizeram com o senhor , mas estaremos em oração pelo seu sacerdócio e sua pessoa em Cristo Jesus….

  15. Pe. Assis Jesus o filho está contigo onde você for é uma promessa do filho de Deus.Infelizmente uma parte da Igreja ainda mantém a Santa Inquisição através dos tribunais eclesiásticos, isto é danoso aos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.