SINDUTE e as professoras não são o que o Governo diz

SINDUTE-MG e professoras não são o que o Governo diz.

Gilvander Moreira[1]

É hora de parar de olhar para o dedo e prestar atenção para onde as/os professoras/res da Rede Pública apontam!


 

      Estou indignado com a propaganda intermitente das Secretarias da Educação e do Planejamento do Governo de Minas Gerais, veiculadas em todos os meios de Comunicação – rádios, TVs, Jornais e etc – demonstrando uma postura de total insensibilidade e truculência com relação ao SINDUTE-MG – Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação do Estado de Minas Gerais –, aos professores da Rede Estadual de Minas e à educação pública de Minas.

      Diante dessa postura nada democrática, profundamente injusta, não podemos nos calar. Acompanho de perto a realidade das escolas estaduais de Minas e a luta dos professores pelos seus legítimos direitos que estão sendo negados, inclusive o Piso Salarial Nacional, que não está sendo pago. Já escrevi e divulguei cinco pequenos artigos defendendo a causa dos professores e da educação pública de Minas: a) A greve dos professores é justa? (18/08/2011); b) Greve dos professores de Minas: marco histórico. (14/09/2011); c) Professores em greve até a conquista do Piso Salarial Nacional. (15/09/2011.); d) Violência contra os educadores e contra a Educação em Minas. (18/09/2011); e) 111 dias de greve dos professores: semente de uma educação pública de qualidade. (26/11/2011.) Todos disponibilizados na internet em vários sites e blogs.

     A greve foi suspensa com acordo firmado entre representante do Governo estadual e direção do SINDUTE. Foi pactuado que negociações sérias seriam empreendidas. Mas … Será preciso que os professores voltem a entrar em greve novamente? Espero que a sensatez seja retomada e que as negociações prossigam.

     Dia 10 de novembro último, se uniram professores, eletricitários, policiais civis, trabalhadores da saúde, em estado de greve. Fizeram assembleias e marcharam pelas ruas de Belo Horizonte reivindicando direitos sociais que lhes estão sendo roubados. Contaram com o apoio de vários movimentos sociais populares. A classe trabalhadora está se levantando. Lutar em unidade é o caminho que nos levará a muitas vitórias.

        Socializo, agora, com milhares de pessoas três entrevistas no Programa Palavra Ética, da TV Comunitária de Belo Horizonte – TVC/BH – com três professoras que sentem na péle a realidade da educação pública de Minas. Elas, sim, têm autoridade e legitimidade para falar. Ouçamos o que nos dizem três professoras da Rede Estadual de MG: Beatriz da Silva Cerqueira, Mônica Maria de Souza e Silvânia Morais.

1) Palavra Ética com a professora Beatriz Cerqueira, do SINDUTE: http://www.youtube.com/watch?v=5QuIDfzORcs

2) Palavra Ética com a professora Mônica Maria de Souza, do SINDUTE:

http://www.youtube.com/user/palavraetica?feature=mhee#p/u/20/3tB0aJ6q_gI

3) Palavra Ética com a professora Silvania Morais, das Brigadas Populares:

http://www.youtube.com/watch?v=GMgKayDFaGE

Abraço terno. Gilvander Moreira, frei carmelita.

Belo Horizonte, 14 de novembro de 2011



[1] Mestre em Exegese Bíblica, professor, frei e padre carmelita, professor de Teologia Bíblica, assessor da CPT, CEBI, SAB e Via Campesina; e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.brwww.gilvander.org.brwww.twitter.com/gilvanderluis – facebook: gilvander.moreira

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.